Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
​Câmera zenital

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Câmera zenital

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini
em cena: Bruna Vallim

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini
em cena: Bruna Vallim

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini
em cena: Hannah Matsuo Souza

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini
em cena: Artur Abe

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini
em cena: Fellipe Soares, Camila Florio, Conrado Dess

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini
em cena: Bruno Lotelli e Luiza Strauss

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini
em cena: Fellipe Soares

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini
em cena: João Victor, Bruno Lotelli, Caio Guedes

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
câmera zenital
em cena: Olívia teixeira

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini
em cena: Olívia teixeira

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini
em cena: Olívia teixeira

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
câmera zenital
em cena: Olívia teixeira

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
câmera zenital
em cena: Olívia teixeira

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP
Fotografia Ana Laura Leardini
em cena: Felipe Boquimpani entre outros

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP

Fotografia Ana Laura Leardini

em cena: Artur Abe, Fellipe Soares, Conrado Dess, Caio Guedes

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

Fotografia Ana Laura Leardini

em cena: Vera hamburger, Bruna Vallim e Gabi Torrezani

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

Fotografia Ana Laura Leardini

em cena: Bruna Vallim e Gabi Torrezani

X
+
Lab2013.USP
Lab2013.USP

CTR/CAC-ECA-USP

Fotografia Ana Laura Leardini

X
+

O método

O Laboratório Interdisciplinar Fronteiras Permeáveis, criado pela diretora de arte Vera Hamburger, tem por objetivo investigar o desenho do espaço como linguagem, assim como os mecanismos de percepção e criação do espetáculo, seja ele performativo, visual, audiovisual ou a própria arquitetura, em acordo à prática artística contemporânea.

Em ambiente onde o processo criativo liga-se intrinsicamente ao aprendizado, a convivência entre o corpo, a matéria, o lugar e sua visualidade são os temas fundamentais para a investigação proposta.

A ação é a linha condutora do trabalho. A prática interdisciplinar, o principal eixo de estudo. Através de laboratórios experienciais de intervenção e atuação no espaço, os elementos da conformação e dinâmica da cena apresentam-se ao participante.

A metodologia de trabalho aqui proposta foi desenvolvida em experiências realizadas em escolas de curso livre, universidades e eventos culturais, em quase dez anos de pesquisa na prática do ensino. Entre elas destaca-se a oficina oferecida na 12ª Quadrienal de Praga, 2011 - “Permeable Boundaries: the space, self and the other” -, e o recente experimento realizado na ECA-USP, em ação acadêmica, dissertada em "O desenho do espaço da cena, da experiência vivencial à forma" em vias de publicação.

É dirigido a artistas, estudantes e pesquisadores das artes cênicas, plásticas, audiovisuais e arquitetônicas, entre atores, bailarinos, cenógrafos, figurinistas, diretores de arte, diretores, coreógrafios, arquitetos, fotógrafos, videomakers, iluminadores, editores, ou seja, artistas espaço-visuais e performers. 

Direção de Arte

Apesar do papel e abrangência da Direção de Arte na produção da obra artística contemporânea, sua presença nos currículos de formação é deficiente. Matéria de caráter multidisciplinar, não encontra, na atual divisão das escolas, espaço para que desenvolva um sistema pedagógico próprio. Este projeto se propõe a investigar modos de atuação que contemplem a complexidade da matéria.

Quando falamos do desenho do espaço estamos nos referindo a uma área do conhecimento cuja sintaxe baseia-se no trinômio Corpo-Espaço-Tempo, conformando-se, por natureza, em uma linguagem multidisciplinar.

Reconhecendo na materialidade meio de estabelecimento de conexões essenciais, o Laboratório Fronteiras Permeáveis propõe a recuperação da vivência direta do corpo no espaço-tempo como forma de pesquisa estética, treino artístico e desenvolvimento ético. Em estudo, os efeitos de presença e sentido que transpassam o ser em experiência estética espaçovisual.

A discussão engloba definições sobre os meios de percepção e compreensão do homem sobre as coisas do mundo; revê questões relativas à produção de sentido frente à potencialidade dessa percepção, e propõe, desenvolvendo métodos não hermenêuticos de significação, abrir espaço para outras instâncias de sensibilidade envolvidas na convivência junto à matéria. 

Conrado Dess Lab 2013.USP

Lab 2013.USP

+
Ana Claudia Amaral Lab 2013.USP

Lab 2013.USP

+
Ana Claudia Amaral Lab 2013.USP

Lab 2013.USP

+
Catarina Lab 2013.USP

2013.USP

+
Catarina Lab 2013.USP

Lab 2013.USP

+
Caio Guedes Lab 2013.USP

Lab 2013.USP

+
Caio Guedes Lab 2013.USP

Lab 2013.USP

+
Bruna Vallim Lab 2013.USP

Lab 2013.USP

+
Histórico

Na busca por parâmetros mais claros sobre seu próprio trabalho, Vera Hamburger passou a dedicar-se, em paralelo à atuação na direção de arte de cinema, teatro e exposições, ao ensino e pesquisa sobre a matéria.

Em dez anos de prática pedagógica, desenvolveu o método Fronteiras Permeáveis no qual a experiência direta e ativa sobre o espaço é dispositivo primordial para a investigação coletiva sobre o tema. 

A criação de cada experimento deu-se de forma empírica, perseguindo metas fundamentais como: a liberação criativa; a familiarização com a matéria; o treino da percepção global; o exercício da autonomia intelectual, artística e estética através de jogos coletivos e interdisciplinares.  

Contando com o apoio da Universidade de São Paulo, por meio da Escola de Comunicações e Artes, em particular aos departamentos de audiovisual (CTR-ECA USP) e de Artes Cênicas (CAC-ECA-USP), o Lab teve a oportunidade de ser revisto sob ponto de vista científico.  Encontramos apoio e vocabulário no diálogo com filósofos, artistas e mestres como John Dewey, H.U. Gumbrecht, Paulo Freire e Gilles Delleuze, além dos professores da Staatliches Bauhaus e do artista múltiplo e professor Flávio Império. 

Os resultados alcançados pelo coletivo universitário - formado por estudantes das escolas arquitetura, artes visuais, cênicas e audiovisuais - confirmaram a pertinência da investigação, inclusive ampliando perspectivas da pesquisa. São principalmente eles que ilustram esta publicação.

Em 2016, o projeto contemplado pelo Edital ProAC de Artes Integradas, teve sua edição  LAB2016.1SP, aberta ao público, com 20 vagas gratuitas. Os participantes se inscreveram por este site, enviando currículo e carta de intenção.